Páginas

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Reflexões sobre o Salmo 127


            Salomão conhecia muito bem a vaidade do trabalho que é separado da confiança no Senhor. Em Eclesiastes 2:24-26, ele falou sobre como Deus usa o pecador para que junte e amontoe apenas para dar o que juntou para os que confiam nEle. Semelhantemente, é vaidade trabalhar e edificar uma casa, esquecendo-se de seguir o Senhor. A ideia de edificar uma casa deveria ser entendida como mais do que uma simples construção, mas sim como uma família; isso inclui, a criação dos filhos. Trabalhar para edificar uma família sem primeiro confiar e se submeter ao Senhor é um esforço vão.

            Do mesmo modo, trabalhar para proteger uma cidade, sem primeiro confiar no Senhor, é vaidade. Salomão sabia que a verdadeira segurança vinha do fato de estar ligado ao Senhor e não pela força e sabedoria humanas. E com que frequência trabalhamos de maneira árdua para sustentar nossas famílias ou assegurar nosso futuro! O objetivo não é desvalorizar o trabalho, mas colocá-lo em uma perspectiva adequada. Sem a bênção do soberano Deus, trabalhamos em vão.

            Tendo estabelecido a necessidade do cuidado e da provisão de Deus para o Seu povo, Salomão foca sua atenção para os filhos como parte dessa bênção. O Senhor abençoa Seu povo com filhos como herança, “Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade” (NVI), versículo 4. Os filhos eram como flechas porque cresceriam e poderiam proteger e cuidar de seus pais idosos. 

            O homem com uma aljava cheia de filhos era abençoado porque estaria seguro em sua velhice. Seus filhos seriam provedores e advogados para ele. Eles procurariam a justiça na porta e protegeriam seus pais idosos contra a opressão. Os idosos  eram fracos e vulneráveis, mas Deus dava filhos para que cuidassem de seus pais como instrumentos de Sua bênção. Esta era a maneira na qual Deus edificava a casa para aqueles que confiavam nEle.

            Fosse jovem e estivesse construindo uma família ou fosse um ancião com uma família já estabelecida, o Senhor cuidaria se essa pessoa confiasse nEle. Isso é verdade ainda hoje. Nossa esperança não está em uma aposentadoria gorda ou em um sistema de alarmes. Nossa esperança está no Senhor. Quando confiamos nEle, podemos encontrar descanso em meio ou nosso trabalho.

Um comentário:

  1. otima reflexão muito obrigado por esta nos ajudando a evanjelizar

    ResponderExcluir