Páginas

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O Que é Ter Fome e Sede de Justiça?

       Sempre me perguntei o que na verdade significa ter fome e sede de justiça. Em primeiro lugar, por ter crescido em um lar de classe operária nos EUA, não tenho uma referência real do que significa ter fome ou sede. Em segundo lugar, o que na verdade significa “justiça”? É simplesmente abster-se do mal? Significa ler a Bíblia e orar? É um anseio por justificação?

        Para os que realmente têm fome, o desejo por comida é algo consumidor. Lembro-me de caminhar em uma favela no Brasil alguns anos atrás e ver uma mulher colocar seu lixo no meio-fio da calçada para ser recolhido. Enquanto ela caminhava de volta para casa, diversas crianças vieram correndo, como se surgissem do nada, para o lugar em que ela havia deixado a sacola de lixo. Vi como as crianças avidamente rasgavam a sacola plástica e tiravam os restos de comida. Elas estavam ajoelhadas na calçada consumindo o lixo porque a fome as consumia.

        Na Bíblia, vemos histórias de pessoas que passaram fome. Há casos em que elas comeram estercos de pássaros e cabeças de jumento. Há inclusive épocas em que as mães comeram seus próprios filhos para sobreviver. À luz de tudo isso, o que quer que seja a tal “justiça”, sei que não posso dizer que tenho fome ou sede dela; pelo menos não ao grau de uma criança faminta que procura sobras de pão.

        Quando era um jovem crente, entendia que ter fome de justiça significasse que eu deveria evitar as coisas más como a luxúria e o adultério. Achava que isso significasse que eu deveria progressivamente ler mais a Bíblia e passar mais tempo em oração.  Basicamente, se eu evitasse os pecados grandes e praticasse as disciplinas espirituais, então eu teria fome de justiça. Ao mesmo tempo em que essas coisas são boas, e elas certamente são um aspecto do que quer dizer Mt 5:6, este é um entendimento infelizmente inadequado do versículo.

      Sem dúvida, vemos aqui uma referência à justiça de Deus encontrada em Cristo Jesus. Os que são pobres de espírito percebem sua pecaminosidade e a incapacidade de retificá-la. Eles pranteiam sobre seu pecado ao ponto de terem arrependimento e fé naquele cujo sangue os purifica e assim são justificados. Cristo toma sobre Si o pecado deles e lhes dá graciosamente Sua justiça. Certamente, o quebrantamento dado por Deus para o pecado e que leva a um anseio de ser reconciliado com Ele é um aspecto do que significa Mt 5:6.

      A justificação é tudo o que se tem em vista aqui? Este versículo tem algo a dizer ao crente que está sendo conformado à imagem de Cristo? Claro que sim! E observamos dois aspectos adicionais deste desejo de justiça. Um é a fome de santidade pessoal. É claro que aquele que é tornado justo deveria viver até o fim essa justiça de uma maneira prática. A graça não é uma licença para o pecado e nós verdadeiramente somos chamados para sermos santos porque Deus é santo (1 Pedro 1:15).

          Em segundo lugar, é uma fome de ver a justiça de Deus se espalhar por todo o sistema mundial. Em As Institutas, João Calvino disse: "A justiça inclui todas as obrigações da lei, que cada homem possa receber o que lhe é de direito." Além do mais, Tim Keller, em Justiça Generosa, diz: “Se você é cristão e opta por não cometer adultério ou não usar palavras obscenas ou ainda por não perder um culto, mas não realiza o difícil trabalho de ponderar cuidadosamente sobre como fazer justiça em cada área da sua vida – você está deixando de viver de forma justa e correta". Como cidadãos do Reino de Deus, devemos ativamente procurar propagar a justiça de nosso Rei em cada área de nossas vidas e na sociedade. Este é o aspecto da fome de justiça que é negligenciado com mais freqüência ou totalmente ignorado.

     Para encerrar, vemos que ter fome e sede de justiça é uma tarefa assombrosa. Não é algo que os homens caídos desejarão sequer uma vez em suas vidas e por conta própria. Entretanto, quando o Espírito de Deus transforma nossos corações e somos reconciliados com Deus, somos tornados justos. Isto resulta em um desejo de amar a Deus com todo o nosso coração, alma, mente e força e amar nosso próximo como a nós mesmos. Como resultado, começamos a desejar fortemente a santidade pessoal e que o mundo ao nosso redor seja reconciliado com Deus e que Ele seja o Senhor e reine em todas as áreas de nossa vida.  

      Você tem fome desse tipo de justiça como uma criança faminta anseia por uma casca de pão? Eu sei que eu não, mas eu quero! Pela graça de Deus, eu oro para que minha vida seja marcada por este tipo de fome e sede de justiça. Que eu não me contente em apenas ir à igreja, em evitar uma lista de pecados, em eventualmente ler minha Bíblia e orar por minhas refeições. Isso seria uma tragédia e uma vida jogada fora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário