Páginas

segunda-feira, 2 de maio de 2011

A Virtude Perdida: Auto-Negação

Talvez seja tolice tentar escolher um ensinamento como o mais importante em um determinado assunto, mas sinceramente passei a crer que o conceito mais significativo para entendermos sobre o discipulado é que devemos negar a nós mesmos e diariamente tomar nossa cruz (Lucas 9:23, Mt 16:24, Mc 8:34).  Não ouvimos muitos sermões sobre isso nos dias de hoje, mas se olharmos para o passado, veremos um grande número deles. Muitos homens como Whitefield, Wesley, Calvino, Lutero, Edwards, Spurgeon e diversos outros, todos falavam sobre esse assunto. Eles assim o fizeram porque é absolutamente essencial ao sermos conformados à imagem de Cristo.

            Para começar, vamos olhar o contexto imediato das passagens citadas acima. Pedro acaba de compartilhar aquela gloriosa confissão: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo."  Logo após isso, Jesus começa a explicar aos seus discípulos que Ele deve sofrer, ser rejeitado e finalmente morto. Em Mateus e Marcos, vemos que Pedro ficou ofendido com isso e começou a reeprender Jesus. Pedro estava rejeitando o plano do Pai e colocando o foco de modo egoísta no seu próprio desejo e assim o Senhor o reeprendeu veementemente.

            Vemos aqui a mais importante ilustração de auto-negação e de carregar a cruz dada por nosso Senhor   (Lucas 9:22).  Tendo ilustrado isso, ele imediatamente explica que qualquer um que seguisse a ele deveria, semelhantemente, negar a si mesmo e tomar sua cruz diariamente. Jesus não permite um cristianismo confortável. Nossas vidas, como discípulos, devem ser marcadas por uma rotineira negação de si mesmo e por uma ativa e diária  tomada de nossa cruz.

            Jesus estava falando aos seus discípulos, a quem Pedro havia acabado de fazer uma profunda confissão de fé em Cristo. Por esta razão, creio que esta passagem é especificamente referente ao discipulado; entretanto, é importante observar que a fim de nos tornarmos discípulos, devemos rejeitar ou negar nossa própria auto-justificação e colocar nossa fé completamente em Cristo, o Filho do Deus vivo. Esta é a primeira e fundamental negação de si mesmo.

            Tendo se tornado Seu seguidor, Jesus diz que você deve negar a si mesmo. Isto significa que nós devemos negar nossos desejos carnais. No  Sermão 48 John Wesley diz que todo pecado é o resultado ou da indisposição de negar-se a si mesmo ou de tomar sua cruz. Para negar a si mesmo,  devemos entregar o controle de nossas vidas, nossas  esperanças e nossos sonhos para o plano e a vontade de Deus.  Isto significa que devemos entregar o controle de nossas posses e tornarmos administradores dos recursos de Deus para sua glória e o para o bem do seu Reino. Auto-negação significa uma rejeitação em sermos egocêntricos; não somos mais o centro do nosso universo, Cristo e Seu Reino é que são.

     Aujto-negação é amar a Deus com todo nosso coração, alma, mente e força e ao próximo como a nós mesmos (Mt 22:37-40).  É não fazer nada por contenda ou vanglória mas em humildade, considerando os outros mais importantes do que nós mesmos (Fl 2:3). É apresentar nossos corpos como sacrifício vivo que é nosso culto racional  (Romanos 12:1).  Auto-negação é compreender que porque Cristo nos amou, Ele deu sua vida por nós e que,  portanto, devemos dar nossas vidas por nossos irmãos (1 John 3:16).  Embora  não sejam exaustivas,  penso que essas passagens deixam claro o que é auto-negação.

            Pensamos frequentemente que tomar nossa cruz é um ato de, alegre e pacientemente, carregar uma cruz que o Senhor colocou sobre nós. Que é carregar um fardo sobre o qual não temos controle, mas não é disso que Jesus está tratando aqui. Jesus diz que um discípulo deve tomar sua cruz e segui-lo. Tomar sua cruz é ativa e voluntariamente tomar para nós mesmos um fardo. É escolher fazer coisas, mesmo que elas requeiram sofrimento, para a glória de Cristo e o bem do Seu Reino.

            Isto é o que significa viver como um discípulo de Jesus. Parece difícil?  Impossível?  Longe da graça e da misericórdia de Deus, sim. Através do arrependimento dos pecados, da fé em Cristo e da submissão ao Seu Senhorio, Deus nos capacitará a viver uma vida assim. Ele edificará Seu Reino através das vidas dos discípulos fiéis que negam a si mesmos, tomam sua cruz e seguem a Jesus.  Se acharmos que o custo é alto demais, Jesus disse que os que vivessem verdadeiramente dessa maneira não perderiam nada, mas de fato viveriam a vida abundante que ele prometeu (Lucas 9:24). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário