Páginas

segunda-feira, 2 de maio de 2011

O Valor do Reino dos Céus

             As pessoas de todo o mundo anseiam por uma oportunidade de imigrar para os EUA, elas estão dispostas a pagar qualquer preço pela chance de ter uma vida melhor. Muitos latino-americanos arriscam suas vidas e todo o seu dinheiro para atravessar a fronteira ilegalmente. Muitos outros esperam décadas a fim de ingressar no país por meios legais. Todos eles fazem isso por causa do alto valor que dão ao fato de se viver neste país. Não importa quão grande pensamos que seja nosso país, ele é um solo árido se comparado à glória e à bondade do Reino dos Céus. Portanto, quanto mais deveríamos estar dispostos a entrar nesse reino?
              Em Mateus 13:44-46 Jesus ensina as parábolas do tesouro escondido e da pérola de grande valor. No versículo 44, o Reino é comparado a um tesouro escondido no campo. Um homem o acha e em sua alegria vende tudo o que tem. Para nós que estamos empolgados pelo fato da salvação ser pela graça através da fé e não por obras, imediatamente ficamos na defensiva diante de tal afirmação. A salvação não está à venda, ninguém pode comprar a graça de Deus, mas este é um grande mal-entendido destas duas parábolas. A questão não é que se possa comprar a entrada no Reino, mas que o valor do Reino é inestimável.
            É importante destacar que esta parábola não se refere à moralidade do homem. Essa não é a questão; entretanto, ele não agiu imoralmente. Se ele tivesse realmente tomado posse do tesouro, ele não deixaria de pertencer ao dono da terra. Em vez disso ele deixou o tesouro, foi e vendeu tudo e comprou o campo adquirindo o tesouro também. 
           É interessante que o homem, pelo seu gozo vendeu tudo e comprou o terreno. Ele fez isso alegremente, porque compreendia que o tesouro valia muito mais do que todas as suas posses terrenas juntas. Em contraste, quando Jesus disse ao jovem rico que vendesse todas as suas posses e desse aos pobres (Mt 19:21), este retirou-se triste (Mt 19:22).  Diferentemente do homem que achou o tesouro escondido, o jovem rico não compreendeu o valor imensurável do Reino dos Céus e assim não se dispôs a abandonar tudo e seguir a Cristo.
            O ponto em questão da segunda parábola reforça a primeira. Aqui o negociante está habilmente procurando belas pérolas em tudo quanto é lugar. Quando ele encontra uma de grande valor, ele semelhantemente vende tudo o que tem a fim de poder adquiri-la. Mais uma vez, vemos o valor inestimável do Reino dos Céus. O negociante está disposto a pagar seja lá qual for o preço para adquirir uma jóia tão valiosa.
            Ambos os homens revelam uma importante qualidade do Reino. O primeiro estava simplesmente vivendo sua vida quando inesperadamente achou um tesouro escondido.  Por outro lado, o negociante está ativamente procurando uma pérola preciosa. Em ambos os casos vemos que o Espírito de Deus se move sobre as pessoas que escolhe, estejam elas procurando a verdade ou despreocupados com ela.
            Como foi dito anteriormente, o ponto principal destas parábolas é o valor supremo do Reino. Enquanto a salvação é, sem sombra de dúvida, o dom gratuito de Deus, há, contudo, um custo para se seguir a Cristo. O Senhor disse aos seus seguidores que ajuntassem tesouros no céu, não na terra (Mt 6:19-20), porque onde nosso tesouro estiver, nosso coração estará também.  Jesus ordenou aos seus discípulos que fizessem isso ao vender o que tinham e dar aos necessitados (Lucas 12:33), o que quer dizer ser rico para com Deus (Lucas 12:21).  Jesus disse que os discípulos deveriam renunciar-se a si mesmos, tomar sua cruz e segui-lo (Mt 16:24).  De fato, custará sua vida seguir a Jesus (Mt 16:25).  Entretanto, não importa o custo para ser um cidadão do Reino; assim como o homem que encontrou o tesouro, pagaremos o preço com alegria sem medida quando percebermos o valor inestimável do Reino dos Céus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário