Páginas

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O Pai Deseja Dar o Reino a Você

      Estive estudando Lucas 12:13-34 nesta semana e achei que poderia compartilhar alguns dos meus pensamentos sobre esta passagem. Enquanto ensinava, Jesus foi interrompido por um homem que claramente não estava interessado no que o Senhor estava dizendo. Ele apenas queria que Jesus resolvesse uma disputa sobre uma herança e por “resolver uma disputa” quero dizer “falar ao seu favor”. Jesus recusou-se a se envolver nessa contenda preferindo lidar com as questões do coração que a estavam causando.

     Jesus sabia que o problema era que esses irmãos estavam cobiçando; desejando mais do que tinham. Ele contou a parábola do rico insensato para a multidão. Tratava-se de um homem que não se importava com as necessidades que o cercavam e escolheu manter consigo de forma egoísta as bênçãos vindas do Senhor. Jesus disse que sua alma seria perdida e que tudo o que ele havia preparado para si seria perdido. Isto é o que acontece com todos os que acumulam tesouros para si e não são ricos para com Deus. É bom planejar o futuro, mas acumular devido a uma falta de fé, é pecado. Há uma linha tênue entre as duas coisas.

     Jesus volta sua atenção para seus discípulos, aqueles que o tinham chamado de Senhor e estavam procurando segui-lo. Enquanto o homem da parábola estava preocupado com sua abundância, Jesus sabia que seus discípulos estavam preocupados com seus sustentos.
Ele os instruiu a não se preocuparem com as necessidades materiais. Em outras palavras, não cobiçar. A preocupação revela um coração cobiçoso que não está contente com o que o Senhor provê. 

     Jesus dá a eles três motivos para não se preocuparem. O primeiro é que há mais coisas na vida do que bens materiais. O rico insensato cria erroneamente que sua riqueza lhe traria felicidade e segurança. Ela não lhe trouxe nenhuma das duas coisas. O segundo motivo é que não há nada de bom em se preocupar. Não podemos acrescentar um único minuto a nossas vidas se nos preocuparmos; de fato, os médicos dizem que o contrário disso é verdade. Finalmente, o terceiro motivo para não se preocupar é que as nações são caracterizadas por preocupações. O mundo perdido devem ter preocupações, mas os filhos de Deus, cujo pai amoroso é o criador e sustentador de todas as coisas, não têm motivo para isso. Em um mundo cheio de turbulências, uma igreja confiante é uma testemunha maravilhosa.

     O Senhor oferece aos seus seguidores uma alternativa  contrária à preocupação. Ele desafia os discípulos a buscarem o Reino com confiança, sabendo que o Pai deseja dá-lo aos Seus filhos. Ele lhes ordena que vendam suas posses e dêem aos necessitados. Isso é o contrário do que fez o rico insensato. Já que não conseguimos levar adiante este mandamento e dizer que um cristão deve vender todas as suas posses, também não ousamos em minimizá-lo. Jesus claramente liga o fato de ser rico para  com Deus e procurar o reino com o dar sacrificialmente aos pobres.

     Como um novo crente, entendi que buscar o Reino significava orar, ler a Bíblia e testemunhar. Sem sombra de dúvida, tudo isso está incluído, porém vim a entender que mais coisas estão envolvidas. Buscar o reino envolve viver uma vida simples e investir os recursos que Deus dá a fim de fazer seu Reino avançar. O mundo perdido é caracterizado por uma preocupação quanto aos bens materiais. A igreja deve ser caracterizada por vidas vividas de modo simples, que investem no Reino e que entregam o futuro nas mãos do Deus soberano. Se ele cuida dos pássaros e das flores, certamente cuidará de Seus próprios filhos que procuram viver de acordo com Sua vontade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário